[Indígenas e Covid] – Trabalhos científicos

[Indígenas e Covid] – Trabalhos científicos

Essa primeira rúbrica apresenta os trabalhos científicos redigidos por pesquisadores em ciências sociais e não raro em colaboração com os indígenas que vivem a situação sanitária crítica em suas comunidades de origem.

 

  • Mundo Amazonico, dois números da revista, intitulados « Reflexiones y perspectivas en torno a la pandemia de COVID-19 », foram recentemente consagrados ao COVID-19 na Amazônia.

 

  • Revista Vukapanavo, Volume 3, Número 3, Outubro/Novembro 2020. Número especial Pandemia da Covid-19 na vida dos Povos Indígenas, editado pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), em colaboração com Revista Terena Vukápanavo e apoio da fundação Oswaldo Cruz: https://www.vukapanavo.com/

 

  • COVIDAM, 26 de maio de 2020. « Le double choc de la Covid-19 sur une petite communauté d’Amazonie brésilienne », por François-Michel Le Tourneau. O artigo é consagrado aos indígenas do estado do Amapá e à sua gestão dos serviços de saúde locais. O autor relata a situação de São Francisco do Iratapuru, uma reserva de de desenvolvimento sustentável de 806.000 hectares cujos habitantes vivem principalmente da coleta de castanhas-do-pará. Neste lugar, o distanciamento social parece difícil de manter, pois todos vivem próximos e a maior parte dos negócios do dia-a-dia é feita coletivamente. Os hospitais da área sofren com grande falta de equipamentos. Disponível em: https://covidam.institutdesameriques.fr/le-double-choc-de-la-covid-19-sur-une-petite-communaute-damazonie-bresilienne/

 

 

  • COVIDAM, 16 de dezembro de 2020. « Amazonie, une histoire sans geste barrière », de Stephen Rostain. O artigo analisa, desde uma perspectiva histórica, o manejo de epidemias na Amazônia ameríndia. O autor retraça as técnicas curativas locais, baseadas em um excelente conhecimento da farmacopeia tropical. Ele enfatiza que estas habilidades foram amplamente mobilizadas em face da recente pandemia e que diversos protocolos de cuidados baseados no uso minucioso de plantas medicinais foram colocados em prática em muitas lugares das Terras Baixas. Disponível em: https://covidam.institutdesameriques.fr/amazonie-une-histoire-sans-geste-barriere/

 

  • CNRS, Le Journal, 11 de setembro de 2020. « Les peuples autochtones à l’épreuve du Covid-19 », de Irène Bellier. Entrevista com Irène Bellier (CNRS), onde a autora apresenta uma síntese da vasta quantidade de dados relativos aos impactos do COVID-19 entre os povos indígenas ao redor do mundo (América do Norte, América do Sul e Caribe, África, Ártico, Ásia, Oceania e Federação Russa). Bellier indica que as taxas de mortalidade são particularmente altas nas comunidades indígenas em razão das condições socioeconômicas progressivamente delicada que acentua a vulnerabilidade indígena face ao novo vírus. A antropóloga sublinha também, nessas sociedades, há uma relação no geral estreita entre a integridade territorial e a saúde dos indivíduos. Disponível em: https://lejournal.cnrs.fr/articles/les-peuples-autochtones-a-lepreuve-du-covid-19

 

 

  • Aparecida Vilaça, Morte na Floresta, Um ensaio seminal sobre o contágio dos povos indígenas no Brasil, editora Todavia (Coleção Ensaios sobre a pandemia), 2020. A antropóloga Aparecida Vilaça reflete aqui sobre como pela primeira vez desde muito séculos invasores e indígenas sofrem dos mesmos sintomas relativos a um vírus, o COVID-19. O trabalho salienta que o compartilhamento de uma fragilidade comum é uma ocasião para que repensemos nossa relação com as sociedades indígenas. Disponível em: https://todavialivros.com.br/livros/morte-na-floresta

 

 

 

 

 

 

  • Revista Intercambio, 21 de março de 2021. Artigo de Oscar Espinosa de Rivero, professor na Pontificia Universidad Catolica del Peru (PUCP) e especialista na Amazônia peruana. O autor apresenta uma lista de desafios colocados às comunidades indígenas da Amazônia peruana face ao COVID-19, mas também das pressões extremamente violentas em curso em seus territórios. Disponível em: https://intercambio.pe/comunidades-amazonia-2021/

 

 

 

  • Luis Joel Morales Escobedo, “El confinamiento y el trabajo de campo en tiempos del coronavirus, Vol. II”, 8 de setembro de 2020. Nesse segundo episódio de um podcast consagrado ao trabalho de campo durante a pandemia do Covid-19, o antropólogo Luis Joel Morales descreve as condições de trabalho com as cooperativas indígenas nas Terras Altas do Chiapas. Ele explica que foi necessário enfrentar o ceticismo de uma grande parte de seus interlocutores Tsetal e Tsotsil em relação à doença e às orientações sanitárias e, em razão disso, adaptar-se. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=eL-rbUaFmZo

 

  • Jan Rus, “Covid-19 en Chiapas indígena: cuestionando una pandemia oculta”. Novembro de 2020. A partir de conversas telefônicas com antigos interlocutores, colegas e estudantes Tseltal, Tsotsil, Ch’ol e Mam, o antropólogo Jan Rus, especialista no contexto Maya, critica a invisibilização e o silêncio das reportagens redigidas em espanhol em relação às mortes causadas pela pandemia de Covid-19 nas comunidades indígenas do Chiapas. Disponível em: https://www.openanthroresearch.org/doi/pdf/10.1002/oarr.10000351.1

 

  • Leonardo Toledo Garibalid, “La suma de todos los miedos: el Covid-19 en las cadenas de WhatsApp de Chiapas”, Chiapas Paralelo, 14 de julho de 2020. A partir de uma revisão sistemática de seis grupos de WhatsApp e diversos perfis Facebook e Twitter, o antropólogo Leonardo Toledo descreve como a circulação on-line de uma série de rumores sobre a Covid-19, compartilhadas em espanhol e em tsotsil nas comunidades das terras altas do Chiapas, provocou diversos incidentes violentos contra os representantes do governo. Disponível em: https://www.chiapasparalelo.com/opinion/2020/07/la-suma-de-todos-los-miedos-el-covid-19-en-las-cadenas-de-whatsapp-de-chiapas/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *